Fertility
Últimas notícias

Embora a mulher seja considerada a maior responsável pela fecundidade do casal, as causas femininas têm a mesma frequência que as masculinas. No entanto, pela complexidade do organismo feminino e pela responsabilidade direta na concepção, gestação e parto, a pesquisa das causas femininas tem um papel muito importante.

As principais causas femininas são:

Ovarianas:

Referentes às disfunções e condições patológicas que afetam a produção, desenvolvimento, amadurecimento e expulsão do óvulo, assim como alterações na produção dos hormônios femininos. Importante sabermos que a quantidade de óvulos que a mulher possui é determinada antes de seu nascimento, e ocorre uma perda progressiva e inevitável destes óvulos ao longo da vida, até o momento em que esta perda é total e definitiva: a menopausa. A própria idade (principalmente acima dos 35 anos), fatores genéticos, ambientais e determinados hábitos (como o tabagismo) podem acelerar esta perda do patrimônio ovariano.

Tubários:

Referentes às alterações no transporte e capacitação dos espermatozoides, na captação e transporte do óvulo, no ambiente da fecundação e no transporte do pré-embrião até o útero. Também engloba o chamado fator peritonial, onde alterações na membrana que recobre as tubas promovem um processo de aderência prejudicial à captação do óvulo.

Uterinos:

Referentes às alterações na anatomia do útero que levam a um prejuízo do transporte e capacitação do espermatozoide, sua receptividade ao pré-embrião e sua capacidade de adaptar-se à gestação.

Cervicais:

Referentes às alterações no muco e sua função de transporte, capacitação e seleção dos espermatozoides, alterações na capacidade de contenção e proteção do saco gestacional na cavidade uterina.

Imunológicas:

Referentes às condições de reconhecimento, adaptação e proteção dos gametas, fecundação, implantação e desenvolvimento do embrião.

Endometriose:

Doença de risco extremo à fertilidade feminina, que envolve múltiplos fatores em seu mecanismo promotor da infertilidade: desde alterações anatômicas e funcionais do útero, tubas e ovários, até condições desfavoráveis a fecundação e implantação relacionadas a fatores imunológicos.O tratamento adequado para cada casal vai depender de uma série de fatores associados ao casal, independentemente da causa de infertilidade, deve-se levar em conta o tempo de infertilidade, a idade da mulher e o número e tipo de tratamentos já realizados previamente.