INFERTILIDADE MASCULINA


A infertilidade conjugal tem o homem como fator causal isolado ou associado às causas femininas (mistas)
em mais da metade (aproximadamente 60%) das vezes.

 

Em resumo, dentre as causas principais de esterilidade masculina estão: Varicocele (varizes na região escrotal), Falência testicular primária, Infecções seminais, Criptorquidia, (testículos fora da bolsa testicular), Obstruções do epidídimo ou canal deferente, Disfunções Hormonais, entre outras.

Atualmente, os problemas seminais são muito bem resolvidos principalmente após o advento das Técnicas de Reprodução Assistida. De acordo com a alteração seminal, técnicas mais elaboradas podem ser empregadas, possibilitando que o homem, independentemente de sua alteração seminal, tenha uma boa probabilidade de gravidez.

Dentre estas técnicas estão: Processamento do Sêmen para Inseminação Artificial, Fertilização “in vitro” clássica e ICSI – injeção de um único espermatozoide dentro do óvulo.

De uma forma geral, cada um destes processos promove uma probabilidade de gravidez que varia entre 25 a 50%, dependendo muito também da condição da mulher.

 

» Dúvidas comuns:

– Homens sem espermatozoides no ejaculado podem ter filhos biológicos?

Sim, através de punção no testículo ou epidídimo. No caso das azoospermias com causas obstrutivas (vasectomia, ausência de ductos reprodutivos, processos inflamatórios etc.) os espermatozoides poderão ser retirados do epidídimo (órgão vizinho ao testículo) porque a espermatogênese está ocorrendo normalmente. Nos pacientes com azoospermias não obstrutivas ou secretoras ocorre falha deste processo e a produção de espermatozoides é extremamente comprometida, como por exemplo, em pacientes com diagnóstico de criptorquidia, exposição a radiação, quimioterapia, de orquite, varicocele, trauma testicular, causas genéticas e hormonais. Algumas vezes, não é encontrada a causa de azoospermia não obstrutiva, sendo considerada idiopática. No entanto, nesses pacientes em alguns túbulos seminíferos (regiões do testículo onde essas células são produzidas) a espermatogênese continua acontecendo. Devido a este fato, até mesmo os homens com diagnóstico de azoospermia podem ter filhos biológicos.

– Como são obtidos os espermatozoides em homens azoospérmicos?

Em pacientes azoospérmicos são indicadas as técnicas de recuperação de espermatozoides através de punções com agulhas finas diretamente no epidídimo (PESA ou MESA) ou nos testículos (TESA) dependendo do tipo de azoospermia e da opinião do paciente. Nos pacientes com azoospermia não obstrutiva, os espermatozoides podem ser obtidos do testículo através de TESA, ou por meio de biópsia (TESE) ou por microcirurgia (micro-TESE). Na azoospermia obstrutiva, fatores como a técnica de coleta dos espermatozoides, como a sua origem (testiculares ou epididimários) e causa de azoospermia não influenciam nos resultados da FIV/ICSI. Por outro lado, a chance de extrair espermatozoides testiculares na azoospermia não obstrutiva depende do método empregado.

Quais são as principais causas da infertilidade masculina?

Desde ausência de produção (azoospermia), baixa contagem (oligozoospermia), pouca mobilidade (astenozoospermia) ou formato inadequado (teratozoospermia). Todas estas condições são geralmente assintomáticas, sendo muitas vezes diagnosticadas apenas por exames especializados.

Modificações anatômicas por defeitos genéticos, inflamações, infecções ou cirurgias do sistema reprodutor masculino podem bloquear parcial ou totalmente a passagem dos espermatozoides e/ou do líquido seminal.

Situações não muito comuns onde os hormônios que agem diretamente sobre os testículos (hormônio luteinizante — LH, hormônio folículo estimulante — FSH) ou a testosterona e a prolactina estão alterados, prejudicando tanto a produção quanto a qualidade dos espermatozoides.

Varizes na região escrotal que alteram a produção espermática, podendo levar também a uma diminuição do volume testicular. Tem efeito progressivo, isto é, quanto mais tempo de ação deletéria sobre os testículos, maior a ação tóxica e a repercussão na qualidade seminal. É a principal causa conhecida de alteração da espermatogênese, sendo sua correção feita através de tratamento cirúrgico.

Quanto maior a alteração seminal, maior a probabilidade de haver alteração genética. Entre elas encontramos homens com cariótipo alterado, microdeleções do cromossomo Y e a presença de gene mutante da fibrose cística.

Disfunções sexuais como os problemas de ereção, tratamentos de rádio ou quimioterapia, traumatismos medulares, doenças como diabetes, algumas neuropatias (doenças neurológicas) e também a criptorquidia (ausência dos testículos na bolsa testicular) podem ser causas de infertilidade no homem.

ASSISTA TAMBÉM:


×

Powered by WhatsApp Chat

×